quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Hipérboles procuram-se

Depois dos arcaísmos e das catacreses, chegámos às hipérboles.
Procuramos expressões do tipo "Surdo como uma porta", "Gordo como um pote" ou "Mais velho que a Sé de Braga"...
Ainda não podemos dizer qual será o destino desta recolha, mas posso adiantar-vos que é para um projecto que o Planeta Tangerina está a preparar para o novo ano. Tchiii... já disse tanto!
A nossa lista já vai longa, mas agradecemos todas as ideias que a possam aumentar.

16 comentários:

D'Arc disse...

Canta que nem um rouxinol
Cabeça-de-alho-chocho
Armado em carapau de corrida
Nervos de Aço
Mais frágil que uma flor de estufa
Memória de Elefante
...

Bom trabalho!
Cris

Anónimo disse...

Eu conheço uma a que acho muita piada mas não sei se é apropriada para o público... "mais velho que o cagar de cócoras".

Anónimo disse...

lindo como o sol da noite

Anónimo disse...

linda como o sol, boa como o mel

Anónimo disse...

Calado que nem um rato!

Roq.

:)

Isabel disse...

Olá Roq, olá Cris,
ola a todos os anónimos,
obrigada pelas ideias, todas elas óptimas ideias. Muitas delas entram, directas, para a nossa lista! (ainda lá não estavam, o que prova que muitas cabeças pensam melhor que apenas 2 ou 3)

Em breve diremos para que servirão.
Entretanto, exagerem à vontade com sugestões.

um abraço,
Isabel

Baleia disse...

"Bom como o milho"
"Fresco que nem uma alface"


será q estas são?

Anónimo disse...

isso demora mais que as obras de santa engrácia!

Anónimo disse...

dia de s.nunca à tarde!

Anónimo disse...

lembro-me sempre de uma expressão, quando vejo a minha sobrinha pequenina, dar a volta aos pacotes de sumo, de bolachas, etc, para retirar alguma coisa que ainda reste, nem que seja migalhas, que é: "rapa tachos".
um beijinho a todos, pois adoro o vosso trabalho. Cristina- Èvora

Anónimo disse...

já estão aqui muitas expressões mas vou dar o meu contributo:

"Isto parece do tempo da Maria Cachucha"

"É o tarde nunca assoma"

"És mais mole que a açorda"

"És tão lento que para ires buscar a morte é que tu és bom"

Um beijinho e bom trabalho. Espero ansiosa pelas novidades.

Margarida Junça
Évora

Anónimo disse...

Lembrei-me de uma também muito engraçada: "Pior que a velha seca".
Vou ficar atenta às vossas surpresas e novidades.
Cristina, Évora.

ponto guloso disse...

Diz-se de um sítio, que é "pra trás do sol-posto", quando é muito, muito longe... às vezes também pode ser sinónimo de "lá onde os chibos não criam unhas", que é o que se diz de um sítio onde só muito dificilmente se irá, não só por ser muito longe, mas também por ser de difícil acesso, normalmente na serra (não sei se esta será uma expressão usada a nível nacional, eu conheço-a do Algarve).
Outra de que me lembro também desde a infância, é uma que se diz a propósito de algo que fica mesmo mal no contexto em que se insere, quer seja de uma peça de roupa, de uma peça de decoração, ou mesmo de três torres de 25 andares no espaço da Fundição de Oeiras... diz-se de tais coisas, que ficam "como o ranho na parede"!
Ao Planeta, muitos parabéns pelo excelente trabalho!

Isabel disse...

Bem... isto tem sido uma bela vindima, já é caso para dizer que as contribuições são "mais do que as mães". Há aqui verdadeiras pérolas, que vamos usar de certeza.
Muito obrigada!

Anónimo disse...

Adorei a do "ranho na parede".
Realmente não é fácil, a minha cabeça ficou vazia. Que cabeça de vento! Fiquei a olhar para a parede como um boi a olhar para um palácio à procura de uma expressão, uma única... Será assim tão difícil? Como encontrar uma agulha num palheiro ou enfiar o Rossio na Rua da Betesga? (Ana Pacheco)

Anónimo disse...

Lembrei-me ainda destes dois...

"Não vale a pena ensaboar a cabeça a burros brancos" (aplica-se a alguém que se recusa a ver algo de outro ponto de vista)

"Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita"

Um beijinho
Margarida Junça