quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Um olá para a Bruaá

Fica-nos muito mal não termos ainda falado aqui da Bruáa. Porque é uma editora nova em Portugal, porque se dedica à edição de álbuns ilustrados e (sobretudo) porque tem seleccionado criteriosamente os livros que tem vindo a publicar, escolhendo editar "pouco mas bom", um lema que devia ser adoptado por todas as casas de edição do planeta (a bem do ambiente, dos nossos olhos e cabeças).

Até ao momento foram apenas dois os livros publicados pela Bruaá mas, perdoe-se-me a indelicadeza, apenas dois conseguem já dar dois a zero a muitos quilómetros de prateleira de livraria por esse país fora (hoje estou terrível, desculpem).

O primeiro "A árvore generosa" é um verdadeiro clássico, um livro intemporal que há muito merecia uma edição portuguesa (a edição original é de 1964). Com textos e ilustrações de Shel Silverstein, esse homem da escrita e da ilustração que tinha o dom de fazer extraodinariamente bem as duas coisas, "A árvore generosa" conta a história da relação entre um menino e uma árvore e de como essa relação se vai alterando à medida que o menino cresce.


O segundo livro "Eu espero", de Davide Cali e Serge Bloch (editado na versão original pela Sarbacane) é também uma aposta fora do comum. Por ser um álbum ilustrado que não se destina exclusivamente às crianças, por ser original no tema escolhido (e na forma poética como este tema é abordado) e também por ser uma surpresa a nível gráfico: um fio encarnado atravessa as ilustrações de uma página a outra, ligando os diferentes acontecimentos.


Com tudo isto, queríamos dizer olá à Bruaá, agradecer-lhe as boas escolhas... e dar-lhe as boas-vindas na nossa lista de links aqui à direita.

A Bruaá pode ser visitada aqui.
Para conhecer melhor o trabalho de Shel Silverstein é seguir por aqui.
E para visitar o site do ilustrador Serge Bloch (obrigatório!) é virar já aqui.

1 comentário:

Bruaá disse...

Olá, habitantes do planeta Tangerina. Muito obrigado pelas palavras. Abruaáços.