quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Com o tempo editado na Holanda





Tentem lá dizer: “Als tijd voorbijgaat”. Na Holanda, é assim que se lê o título do nosso “Com o tempo”. A edição holandesa acaba de ser lançada e pertence à editora Uitgeverij Karmin.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

4.ª pergunta da série "Perguntas que os leitores nos fazem ou talvez tenham vontade de fazer"


E desta vez a pergunta é:
O Planeta Tangerina recebe propostas de outros autores e ilustradores? 

Sim, recebemos, e até temos um endereço de e-mail especial para esse efeito (propostas@planetatangerina.com). Todas as propostas passam por uma primeira seleção e depois, caso se justifique, são partilhadas, analisadas e discutidas entre a nossa equipa. Não editamos um grande número de projetos de autores que não são da casa porque não editamos muitos livros ponto final. Essa é a principal razão. Se formos a ver, somos cada vez mais uma micro-editora, cingindo-nos à publicação de 6 a 7 novidades por ano. Há editoras gigantes que editam o mesmo numa semana. E outras um pouco menores que editam este número num mês ou dois.

De volta à pergunta: o que gostamos mais de receber são ideias concretas para livros (em forma de texto ou de texto + imagem). No caso dos álbuns ilustrados, pensamos que o mais valioso é ter uma ideia original que funcione bem neste formato (em que texto e imagens dialogam). No caso dos livros juvenis ou de livros informativos, valorizamos obviamente a qualidade literária e o arrojo da abordagem (no primeiro caso) e a qualidade da escrita e o rigor científico (no segundo). Desde 2016, organizamos, em parceria com o município de Serpa, o Prémio Internacional do Álbum Ilustrado, para o qual desafiamos autores de todas as idades, com ou sem experiência, a concorrer com projetos (a próxima edição está prevista para setembro de 2019).

O que é que pensamos mais sobre este assunto? Hum... Pensamos que editar, seja para crianças seja para adultos, exige escolher, deixar de parte, experimentar-amachucar-e-pôr-no-caixote, desbravar loucamente, perder tempo com coisas inúteis, tentar, falhar, insistir. Trabalhar muito. Descansar quando se está cansado. E levar a coisa a sério. Isto é: fazer livros que não sejam iguais ou muito parecidos com o que já existe, procurar ter uma voz própria, pensar um pouco nos leitores que temos pela frente (mas não em demasia), esse tipo de coisas.

Todos os editores editam, ou seja, fazem essa escolha. Os critérios com que o fazem e a quantidade de livros que resulta dessa seleção é que variam de casa para casa. Aqui no Planeta Tangerina tem sido mais ou menos assim.






quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Campanha Aniversário “10 anos: Um dia na praia”

Foi em setembro de 2008 que publicámos este “silent book” que é já um clássico entre leitores de todas as idades.

A história começa logo na guarda inicial do livro. Bastam duas barras lisas de cor para nos situarmos no espaço. Depois a personagem avança pela areia e de página em página, acompanhamos os seus gestos... gestos familiares de um dia na praia como qualquer outro.
De súbito algo se agita no mar...

Um dia na praia é um livro de imagens, um livro aberto que convida a múltiplas leituras. Para todos aqueles que gostam de ilustração (e de uma boa história, claro).

– Recomendado por Gulbenkian/Casa da Leitura
– Aconselhado por Plano Nacional de Leitura
– Finalista 2nd CJ Picture Book Festival, Coreia
– Finalista – Prémio Banco del Libro, Venezuela (2010)

Durante o mês de Setembro, e para acabar o verão em alta, o livro “Um dia na praia” estará com 40% de desconto.
Aqui → https://www.planetatangerina.com/pt/loja/campanha-aniversario-10-anos-um-dia-na-praia

***

Anniversary Campaign
"10 years: A day at the beach"

Back in September 2008, we published this “silent book” that is already a classic among readers of all ages. To celebrate its the start of its teenagehood, we’re offering 40% off on this book, only on our online shop.

The story begins right at the first endpaper. With just two plain coloured stripes, we find out where it takes place. Then, the character walks through the sand and — from page to page — we follow her gestures... familiar gestures of a day at the beach, just like any other day.
Suddenly, something stirs up in the sea.

A day at the beach is a picture book, an open book that welcomes multiple interpretations. For all of those who like illustration (and a good story, of course).

- Recommended by the Gulbenkian Foundation / Casa da Leitura
- Recommended by the National Reading List
- Finalist at the 2nd CJ Picture Book Festival,  South Korea
- Finalist at the Prémio Banco Del Libro, Venezuela (2010)

During this September, and to leave Summer the best way, the book “Um dia na praia” (A day at the beach) will have a 40% off discount.
Here → https://www.planetatangerina.com/en/shop/anniversary-campaign-10-years-a-day-beach

quinta-feira, 19 de julho de 2018

NSK Neustadt Prize for Children's Literature





Mais excelentes novidades!

"Isabel Minhós Martins é uma das 9 finalistas do NSK Neustadt Prize for Children's Literature.

Este é o mais prestigiado prémio para a literatura para a infância atribuído nos Estados Unidos. Entre os nove finalistas, quase todos mulheres, surge ainda a escritora brasileira Ana Maria Machado.

Isabel Minhós Martins, co-fundadora da Planeta Tangerina e a sua principal escritora, está traduzida e publicada um pouco por todo o mundo.

Alguns dos livros que escreveu foram distinguidos por prémios ou instituições ligados ao livro para a infância: Catálogo White Ravens, Prémio Andersen, Banco del Libro, Sociedade Portuguesa de Autores (2015), Gustav-Heinemann Friedenspreis (2017), Deutscher Jugendliteraturpreis (2017)."

— DGLAB



terça-feira, 17 de julho de 2018

Plano Nacional de Leitura



Já saíram as listas do PNL, agora PNL 2027, do 1.º semestre de 2018. Novas entradas do Planeta Tangerina:

- Eu sou, eu sei
- Atlas das viagens e dos exploradores
- Não é nada difícil
- Cem sementes que voaram
- Fim? Isto não acaba assim
- A orquestra
- Desenho livre
- Cá dentro
- Um ano inteiro
- A bola amarela
- A rainha do norte


Madalena Matoso ganha Prémio Nacional de Ilustração 2018





O júri do Prémio Nacional de Ilustração decidiu, por unanimidade, atribuir o prémio deste ano a Madalena Matoso pelo conjunto de ilustrações criadas para o livro “Isto não é nada difícil”. O júri atribuiu ainda uma Menção Honrosa a Joana Estrela pelas ilustrações do livro “A Rainha do Norte”. Ambos os livros foram publicados pelo Planeta Tangerina, por isso estamos em festa!

“Andar por aí” entre os 30 melhores livros infantis do ano 2018




O nosso “Andar por aí” chegou há pouco ao Brasil e impressionou o juri da revista Crescer, distinguindo-se entre os 30 melhores livros infantis do ano 2018.

Após quase uma década desde a sua publicação original, o livro foi adaptado para o português do Brasil e publicado pela Editora 34.


quinta-feira, 28 de junho de 2018

3.ª pergunta da série "Perguntas que os leitores fazem ou talvez tenham vontade de fazer"



Como tem evoluído o cenário da “edição para a infância” desde que começaram a trabalhar? As coisas mudaram muito?

 Imenso! O Planeta Tangerina, como projeto editoral, começou em 2004/ 2006, por aí… O que sentíamos, então, era a existência de uma certa competição entre textos e imagens, ou seja, nem sempre os livros conseguiam usar os dois recursos em simultâneo para contar uma história ou passar uma ideia, tal como os álbuns ilustrados conseguem fazer. Pensámos que poderíamos acrescentar algo aí. E também ao nível das ideias, saindo daquelas abordagens mais comuns (alguns exemplos: nem todos os livros para crianças têm de começar por “era uma vez”; pode haver livros com pouco ou nenhum texto; é possível apostar em estilos de ilustração que nem sempre são os mais convencionais quando se pensa em livros para a infância; é possível criar livros sem um destinatário fixo e que cheguem, por exemplo, a leitores de várias idades).

Aos poucos, o álbum ilustrado entrou em força no nosso mercado, não apenas através de projetos originais de autores portugueses, mas também das obras de autores de outros países e, hoje, há álbuns ilustrados de todo o mundo de grande qualidade a serem publicados por cá. Em geral, é dada mais importância ao projeto gráfico. Muitas vezes são os próprios ilustradores os autores do design dos seus livros. Por vezes são até os ilustradores os autores dos textos dos seus livros. E tudo isso contribuiu para que uma certa “guerra entre textos e imagens” tenha chegado ao fim.

No Planeta Tangerina, para além dos álbuns ilustrados com os quais começámos o nosso catálogo, exploramos também outros caminhos: temos uma coleção para leitores mais crescidos (Dois Passos e um Salto) e temos apostado bastante em projetos editoriais de não-ficção (Lá Fora, Cá Dentro, Um Ano Inteiro, Atlas dos Exploradores).

Entretanto, nestes dez anos, surgiram também várias pequenas editoras com projetos muito interessantes, outras consolidaram o seu catálogo... Muitos clássicos que ainda não estavam editados em Portugal foram trazidos para cá e hoje já recuperámos um pouco desse atraso das muitas décadas em que vivemos mais fechados.
Outras mudanças: a quantidade gigante de livros para a infância que se edita em Portugal neste momento faz com que a escolha por parte dos leitores nem sempre seja fácil. A falta de crítica especializada e o cada vez mais diminuto espaço na imprensa dedicado a esta área contribui para aumentar a dificuldade de escolha. Para além disso, a grande quantidade de livros a ser distribuídos em cada momento faz com que a “rodagem” dos títulos nas livrarias aconteça a grande velocidade, muitas vezes não permitindo que livros menos comerciais (menos diretos, menos óbvios) façam o seu caminho até chegar aos leitores (aquela ideia de “um livro tem hoje o prazo de validade de um iogurte”).
Outro problema: por razões de mercado e sobrevivência, algumas grandes cadeias têm vindo a encolher o espaço dedicado aos livros para a infância, substituindo-os por jogos, filmes, etc.

A última década foi de crise e de dificuldades económicas para uma grande camada da nossa população. Portanto, apesar de existir interesse de muitos pais (mesmo dos pais que não leem) em proporcionar aos filhos contacto com livros, nem sempre há essa possibilidade. Não apenas por dificuldades económicas, mas também pela falta de tempo, de paz de espírito, de energia. Tudo isso é necessário para a formação de leitores (não apenas ter dinheiro para comprar um livro).

A abertura de boas bibliotecas públicas em muitas cidades, com salas dedicadas à literatura para infância, foi um feito muito importante, assim como a programação que essas bibliotecas fazem para as famílias. Todos sabemos que a “leitura é importante”, há a ideia generalizada de que “quem lê normalmente é bom aluno” e todos os pais desejam que os seus filhos se tornem leitores (há a consciência dessa importância, da leitura como chave para abrir muitas portas). Mas normalmente esta ideia vem acompanhada de uma obrigatoriedade que muitas vezes conduz a uma certa “aversão”. Nas escolas, também porque os currículos são longos, os alunos praticamente não têm tempo para a leitura apenas pelo prazer de ler.

Isso seria uma grande aposta para o futuro!
Isso e a aposta em construir leitores não só competentes, como exigentes e muito resistentes (o mundo bem precisa). Alguém tem boas ideias?

terça-feira, 26 de junho de 2018

PASSATEMPO

Já tinham saudades de um quizz? Nós já!
Participem no Quizz dos Exploradores e ganhem um livro do catálogo do Planeta 
Tangerina à vossa escolha*. 
Vamos oferecer 3 livros, portanto, os mais rápidos (e certeiros) serão os felizes contemplados.

* Entre os disponíveis na nossa loja on-line.

1. Quem é o autor da célebre frase “odeio cada onda do mar” (porque sofria de fortes enjoos)?
A) Charles Darwin 
B) Vitus Bering
C) Fernão Magalhães

2. O pinguim-de-Humboldt deve o seu nome ao conhecido naturalista:
A) Alexander von Humboldt
B) David Attenborough
C) Wilhelm von Humboldt

3. Mary Henrietta Kingsley, célebre aventureira inglesa de saias compridas, foi a primeira mulher europeia a atingir o topo do Monte Fako, nos Camarões. Qual a altura deste monte? 
A) 6532 metros
B) Cuidado com as fake news: este monte não existe!
C) 4100 metros 

4. Durante a expedição comandada por Louis de Bougainville, foi identificada uma planta nova para os europeus, cujo nome foi escolhido em honra do comandante da expedição. Que planta é essa?
A) Lírio-da-Louisiana
B) Buganvília
C) Gramínea burguesa

5. Ibn Battuta saiu de casa aos 21 anos e só regressou aos 50! Ao visitar a China, depois da estranheza inicial, Battuta maravilhou-se com:
A) A diversidade de espécies de aves. 
B) As batatas e os tomates chineses
C) As ameixas, os melões e ovos da região

6. O Endeavour, o célebre barco onde viajaram Joseph Banks e o capitão Cook, continha um compartimento especial onde era possível encontrar: 
A) Um aquário gigante com peixes dos trópicos
B) Uma biblioteca de livros dedicados à História Natural
C) Uma adega com vinhos de todo o mundo

7. Giovanni Carpini já tinha 60 anos quando o papa o encarregou de uma importante missão de paz (e espionagem...). Que povo foi alvo das suas observações?
A) Mongóis
B) Chineses
C) Indianos

8. No regresso a casa, Pytheas passou na Costa do Âmbar, no Mar Báltico. O mais provável é que o tenha feito porque...
A) era um ótimo lugar para a observação de cetáceos, como a baleia-âmber.
B) existiam suspeitas de que nessa costa viviam sereias.
C) o âmbar era uma riqueza importante, usada naquela época para fazer joias.

9. Depois da sua viagem à América do Sul, Alexander von Humboldt foi um dos primeiros cientistas a lançar o alerta para:
A) O perigo da ingestão de frutas verdes ou demasiado maduras.
B) O perigo das mudanças do clima causadas por ação humana.
C) A urgência em enviar soldados para a região.

10. Ao atravessar o rio Hindu, no noroeste da Índia, Xuanzang perdeu alguns manuscritos que trazia, assim como uma importante coleção. O que colecionava este monge viajante?
A) Sementes
B) Tecidos
C) Joias

Enviem as respostas para: shop@planetatangerina.com.
Os 3 leitores que responderem mais depressa e mais corretamente, podem escolher o livro que querem levar para as férias. Boa sorte! 


ELCAF 2018

Muito obrigado a todos os que nos visitaram no ELCAF 2018!
Até para a próxima 👋





Lá fora + Cá dentro


Acabados de chegar ao armazém:

Lá Fora (4.ª edição)
Cá Dentro (2.ª edição)

As reimpressões dos nossos calhamaços mais queridos acabam de chegar da gráfica
(e ocupam tanto espaço que o armazém está a rebentar pelas costuras!).

---

→ https://www.planetatangerina.com/pt/loja/livros/la-fora-guia-para-descobrir-a-natureza
→ https://www.planetatangerina.com/pt/loja/livros/ca-dentro-guia-para-descobrir-o-cerebro




terça-feira, 5 de junho de 2018

FEIRA DO LIVRO: Passatempo 3



Está aberto o último passatempo da temporada Feira do Livro 2018! Desta vez o mote é dado pelo livro "Fim? Isto não acaba assim" de Noemi Vola, o vencedor da última edição do Prémio Serpa/ PT

Para participar basta:
1. ir ao stand C07
2. comprar um livro do nosso catálogo
3. pedir uma folha do passatempo à Elsa
4. responder aos 3 desafios que lá vêm
5. devolver a folha no stand, até dia 8/6.

Já está! O vencedor ganha um cabaz do PTangerina.
Os 3 vencedores (deste passatempo e dos anteriores) são anunciados até ao final da Feira.

LIVROS DO DIA para os próximos dias



Até dia 14/6, visitem-nos no CO7
(a meio da subida, do lado direito).

À vossa espera, todos os dias, temos uma seleção de livros com 30% de desconto e o tradicional LIVRO DO DIA com preço especial:

Segunda 4/6
Batata chaca chaca, Yara Kono

Terça 5/6
A manta, Isabel Minhós Martins e Yara Kono

Quarta 6/6
ABZZZZ..., Isabel Minhós Martins e Yara Kono

Quinta 7/6
O livro dos quintais, Isabel Minhós Martins e Bernardo P Carvalho

Sexta 8/6
Desenho livre, Andrés Sandoval

FEIRA DO LIVRO: Passatempo 2




Está aberto o passatempo "MAPA para um EXPLORADOR DE TODOS OS TEMPOS E LUGARES".

Podem participar todos os visitantes do nosso stand (que comprem pelo menos um livro).
Peçam instruções à Elsa (a cara simpática que está no nosso stand) e ela dar-vos-á todas as pistas de como participar.

Grande prémio: um cabaz bem recheado com livros, cartazes e outras surpresas do Planeta tangerina.

Divirtam-se e boas explorações!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

PROMOÇÃO

O que está em jogo? Ganhar um jogo (grátis!)

Este mês, em compras superiores a 40€, oferecemos um jogo do Planeta Tangerina!
Savannah Cafe ou SpaceWalk, a diversão é garantida para toda a família.

Valor da oferta: 22,50€
Promoção limitada ao stock existente.
Promoção válida entre dias 1/06/2018 e  30/06/2018

Disponível na nossa loja → https://www.planetatangerina.com/pt/loja/o-que-esta-em-jogo-ganhar-um-jogo-gratis

***

What’s on the table? A board game to win!

During this month, we are offering a Planeta Tangerina game with purchases over 40€!
With Savannah Cafe or SpaceWalk, there will be fun for the whole family!

Offer value: 22,50€
This offer is limited to available stock. 
The campaign will run from 1/06/2018 to 30/06/2018

Available on our online store → https://www.planetatangerina.com/en/shop/whats-table-a-board-game-win


quinta-feira, 24 de maio de 2018

KIT Eu Mas... Eu Mais!




Feira do Livro de Lisboa — 1ª semana.
Stand C07


Na compra de um livro do Planeta Tangerina, oferecemos um kit com um V de volta. Sigam os passos:

1) recolher o envelope (lá dentro encontrarão alguns elementos, escolhidos a dedo, e um papel com instruções);
2) ler as instruções e responder ao desafio (pode ser levado para casa ou podem responder no próprio loca)l;
3) voltar a entregar o envelope no stand;

A resposta mais surpreendente ganha um cabaz com livros e outras maravilhas do Planeta Tangerina.
NOTA: limitado aos 30 primeiros livros vendidos (corresponde a 30 kits)

Durante a feira teremos um desafio por semana. Fiquem atentos!

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Novidade - Fim? Isto não acaba assim



Fim? Isto não acaba assim


“Quando eu era pequenino queria ser um reparador de finais, isto é, alguém que conserta os finais das histórias. Porque, se repararem, é muito frequente as histórias acabarem na MELHOR parte... e da PIOR maneira.
Muitas vezes também acontece os finais serem complicados demais... tristes demais, desapontantes demais, demasiado injustos, difíceis de engolir, totalmente incompreensíveis...”

O livro vencedor da 2.ª edição do Prémio SERPA/ Planeta Tangerina faz finalmente justiça a todos o livros que tiveram maus finais.
Este, garantimo-vos, vai acabar da melhor maneira!

OBRA VENCEDORA DO I PRÉMIO INTERNACIONAL de SERPA PARA ÁLBUM ILUSTRADO
Uma parceria Câmara Municipal de Serpa/Planeta Tangerina



***

“As a kid I wanted to become an endfixer, that is someone who fixes the ends of things. Because stories often stumble upon a bad end... at the best part.
Sometimes it also happens that the end is too complicated, too sad, too disappointing, too unfair, hard to swallow, incomprehensible...”

The winning book of the 2nd edition of the Serpa / Planeta Tangerina Prize is finally making justice to every book that has ever had a bad ending.
This one, we can assure you, will end in the best way possible!

Winner of the II Serpa International Award for Picturebooks



sexta-feira, 18 de maio de 2018

FLIS - II Festa do Livro de Serpa



FLIS - II Festa do Livro de Serpa
18, 19 e 20 de maio.


Dia 19, às 16h, há lançamento do Livro "Fim? Isto não acaba assim" (o grande vencedor da 2ª edição do Prémio Internacional de Serpa para Álbum Ilustrado) e às 17h há uma oficina de ilustração com a autora italiana Noemi Vola.

3 dias de festa com exposições, oficinas, contos, conversas, espectáculos... Com Cristina Taquelim, António Jorge Gonçalves, Paula Delecave, Filipe Raposo, Rui Cambraia, Ângela Ribeiro, João Lizardo e muito mais.

Acompanhem o programa aqui:
https://www.facebook.com/events/1826755000720314/

A ilustração do cartaz é da Noemi Vola.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Novidade - Eu sou, eu sei



Eu sou, eu sei

Quando crescemos, todos os dias aprendemos qualquer coisa nova. Uma emoção, uma brincadeira, um som, um sabor. Num dia damos um mergulho, noutro conhecemos um lugar novo. Umas vezes ganhamos, outras vezes perdemos. Nesta aventura de ser e crescer, todas as experiências contam.

Neste livro, as ilustrações de Madalena Matoso dialogam com o texto de Ana Pessoa (cujo trabalho já conhecíamos da escrita juvenil), para nos trazer esses momentos em que nos concentramos a crescer e a dar novos passos. Podem ser marcos históricos (daqueles que vêm descritos nos livros) ou feitos mais subtis, mas igualmente importantes. Todos têm em comum a garra, o ritmo, a energia e a resiliência que é preciso para crescer. “Eu sou. Eu sei. Eu dou. Eu rei. Eu com. Eu sem.”

Venham daí descobrir este poema que não para de crescer!

Já disponível → https://www.planetatangerina.com/pt/loja/livros/eu-sou-eu-sei

***

While we’re growing up, we learn something new every day. An emotion, a joke, a sound, a flavour. One day we dive, the next day we discover a new place. Sometimes we win, sometimes we lose. In this adventure of being and growing, every experience counts.

On this book, Madalena Matoso’s illustrations dialogue with words by Ana Pessoa (whose work we already knew from Young Adult fiction), bringing us closer to those moments when we focus on growing up and taking new steps. Whether they’re historical milestones (like those described on books) or more subtle achievements, those moments are equally important. What they all have in common is the determination, rhythm, energy and resilience that one needs to grow up. “I am. I can. I bring. I king. I ping. I pong.

Come along, to discover this poem that never stops growing.

Available at → 
https://www.planetatangerina.com/en/shop/books/eu-sou-eu-sei

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Grande promoção!



Alerta à população:
Vem aí uma grande promoção!
Só mesmo hoje.

Chegou a grande promoção: descontos de 30%, 40% e 50% e 60% em grande parte do catálogo. Aproveitem porque é mesmo só hoje.

WARNING! Big promotion coming up!
It’s true, and it’s only for today.
The big promotion finally arrived: 30%, 40% and 50% and 60% off on many books from our catalogue. Enjoy it well, because it really is only for today.

Livros com descontos de 30%  
Books with a 30% off discount
Um livro para todos os dias (A book for every day)
Trocoscópio (Exchangescope)
O que há (What’s inside)

Livros com descontos de 40%
Books with a 40% off discount

Um dia na praia (A day at the beach)

A manta (The quilt)

Montanhas (Mountains)


Livros com descontos de 50%
Books with a 50% off discount

Os figos são para quem passa (Figs are for passers-by)

O mundo ao contrário (The world upside-down)

Com 3 novelos (With three balls of wool)


Livros com descontos de 60%
Books with a 60% off discount

Grande coisa (Whatever)

Siga a Seta(Follow the arrow)

Imagem (Image)


Promoção válida apenas hoje, dia 11/05/2018.
Ends at the end of the day.


sexta-feira, 20 de abril de 2018

O “Coração de mãe” faz 10 anos (e nós comemoramos na loja online)


Quantos bebés e quantas mães já terão nascido desde que este livro saiu cá para fora?
A 1.ª edição do “Coração de Mãe “ foi publicada em Maio de 2007.
Desde então, este livro já foi reimpresso 15 vezes!
Desde então, outras mães, outros filhos e outros pais já o leram em muitas línguas diferentes: espanhol, catalão, francês, italiano, grego, chinês...

Esta semana comemoramos uma dezena de anos (!) do “Coração de Mãe” com a oferta de um exemplar deste livro em qualquer encomenda feita na nossa loja superior a 10€.

A nossa campanha

* Campanha limitada ao stock existente. Válida de 20 a 27 de Abril.

terça-feira, 10 de abril de 2018

NOVIDADE — Atlas das viagens e dos exploradores



































NOVIDADE
Atlas das viagens e dos exploradores — As viagens de monges, naturalistas e outros viajantes de todos os tempos e lugares

Há poucos séculos, não conhecíamos os limites do planeta e muitas áreas do mundo continuavam isoladas, sem ligação umas com as outras.
Desconhecíamos não apenas as terras e as espécies que existiam noutras regiões, mas também as outras pessoas e as suas culturas.

Para sabermos o que era o mundo, tivemos de nos fazer ao caminho: de burro, de camelo, de barco ou a pé, saímos de casa rumo ao desconhecido e regressámos com as novidades espantosas de outros lugares.
As viagens de monges, botânicos, comerciantes, marinheiros ou artistas deram contributos importantes para conhecermos melhor o planeta e sabermos da existência uns dos outros. Estes viajantes —  de todos os tempos e lugares —  são as personagens principais deste livro, onde não faltam mapas e muitas, muitas aventuras.

Já disponível na nossa loja online
https://www.planetatangerina.com/pt/loja/livros/atlas-das-viagens-e-dos-exploradores

***

NEW
Atlas of travels and explorers — The travels of monks, naturalists and other travellers of all times and places

A few centuries ago, we didn’t know the limits of our planet and many areas of the world remained isolated, with no connection between each other.
We didn’t know of the places and species that existed in other regions, neither of their peoples and cultures. 
In order to find out what was this world we lived in, we had to hit the road. Riding a donkey or a camel, sailing a boat or by foot - we left our homes to look for the unknown, and came back with the extraordinary novelties from other places.

The travels of monks, botanists, traders, sailors or artists gave important contributions to our knowledge of the planet, and to our awareness of the existence of each other. These travellers — from all times and places — are the main characters of this book, where there will be plenty of maps and many, many adventures. 



quinta-feira, 5 de abril de 2018

Brevemente...


Senhoras e senhores,
Está a chegar o grande atlas das viagens e dos exploradores de todos os tempos e lugares!

Brevemente numa livraria perto de si.





sexta-feira, 23 de março de 2018

Para onde vai o dinheiro quando compramos um livro?


2.ª pergunta da série “perguntas que os leitores fazem ou talvez tenham vontade de fazer”.


Cada leitor conhece melhor do que ninguém as capacidades e prioridades da sua carteira. Por isso, nunca nos ouvirão dizer que os livros são baratos. Uma coisa é certa: é muito comum as pessoas queixarem-se do preço dos livros em Portugal. No entanto, quando as esclarecemos sobre o destino de cada cêntimo saem quase sempre boquiabertas.

Para onde vai então cada cêntimo quando compramos um livro?
Do PVP de um livro sai o valor para pagar todas as despesas relativas à sua criação, impressão, divulgação, transporte, exposição e venda.

Em média:

50 a 60 % do PVP destina-se à distribuição e às livrarias. 
15% do PVP serve para pagar a impressão do livro.
8% são direitos para o autor ou autores.
6% é IVA que regressa ao Estado.

A percentagem que sobra, 20 a 30%, é a fatia do editor. Ou seja, a fatia do editor é variável e está dependente da percentagem da distribuição e ponto de venda. 
Com esta fatia o editor paga despesas relacionadas com divulgação do livro (catálogos, site, etc), promoção do livro no estrangeiro (participação em feiras, etc), design gráfico, revisão, tradução, etc.

Outros esclarecimentos: 
O trabalho de distribuição exige divulgar os livros nas lojas, enviá-los, recolhê-los, gerir encomendas e stocks. A sua percentagem ronda os 15-20%.

As grandes cadeias de livrarias conseguem negociar margens maiores porque vendem mais livros: têm muitas lojas e uma distribuição centralizada, logo são pontos de venda muito importantes para um editor. Normalmente ocupam espaços em centros comerciais e têm despesas consideráveis.

As livrarias independentes ganham margens mais pequenas, mas isso não significa que não tenham igualmente grandes despesas (à sua escala) e outras dificuldades e, por isso, vemos tantos negócios abrir e acabar por fechar. Pela relação que estabelecem com os leitores, pela dinamização da sua programação e pelo facto de conseguirem chegar a pontos do território onde as grandes cadeias não chegam são também pontos de venda muito importantes para um editor.

Os autores ganham percentagens entre os 6-12%. Quando a autoria de um livro é partilhada, a percentagem não sobe, apenas se divide por mais cabeças. Quando um livro exige mais tempo ou uma equipa de trabalho maior são os autores e o editor que fazem esse investimento e correm esse risco.

Quando um livro tem uma produção mais cara (por ter mais páginas, um papel especial ou um acabamento mais luxuoso), é o editor que paga essa despesa, que terá necessariamente de se refletir no PVP, mas sempre dentro de certos limites (pois os leitores não pagarão mais do que um certo valor).

Em Portugal, porque o mercado é pequeno, porque se produzem muitos livros e porque e não há assim tantas pessoas a comprá-los, as tiragens são, em média, muito pequenas. 

É sobretudo esse aspeto que encarece o preço dos livros (quanto maiores as tiragens, mais baixo o preço da impressão por exemplar). 



quarta-feira, 21 de março de 2018

Primavera com maiúscula (e uma promoção nada minúscula!)


Esta semana comemoramos a chegada da Primavera com uma promoção bem catita na nossa loja.
Todos os livros com cheiro a Primavera têm um desconto de  25%. Ora espreitem:

It’s SPRING! (in uppercase, with an upperclass promotion!)
This week we’re celebrating the arrival of Spring with a fancy promotion on our online shop. 
We’re offering 25% off on all our books that smell of Spring. Have a look:

O livro dos quintais
Antes/before: 13,90€
Agora/now: 10,45€

Lá Fora
Antes/before: 24,60€
Agora/now: 18,45€

Nunca vi uma bicicleta e os patos não me largam
Antes/before: 13,90€
Agora/now: 10,45€

Montanhas
Antes/before: 12,90€
Agora/now: 9,65€


Promoção válida até 28/3.
Ends on the 28th of March.

→ https://www.planetatangerina.com/pt/loja/primavera-com-maiuscula-e-uma-promocao-nada-minuscula

terça-feira, 13 de março de 2018

Orgulhosamente impressos em Portugal


Inauguramos hoje a série “perguntas que os leitores fazem ou talvez tenham vontade de fazer”. 

Objetivo: explicar algumas das decisões que tomamos enquanto editores. 
(Se vos apetecer, perguntem.)

Primeira pergunta:
Neste mundo global que importância tem se um livro é impresso aqui ou no outro lado do mundo?

Quando começámos a trabalhar, já lá vão 20 anos, em quase todas as gráficas existia um departamento de pré-produção que preparava os originais para serem reproduzidos e fazia as digitalizações das imagens em alta qualidade. Nas provas finais acertavam-se cuidadosamente os detalhes, pois qualquer erro saía caro depois dos fotolitos estarem impressos (uma espécie de negativos de um livro). Tudo demorava muito mais tempo. Tudo era feito com um cuidado imenso.
Depois, com as mudanças tecnológicas, os ficheiros com as artes-finais dos livros passaram a seguir diretamente dos computadores para as chapas de impressão das máquinas e, aos poucos, estes departamentos de pré-produção foram fechando. Todos esses profissionais (com grande amor ao que faziam) ficaram sem trabalho. Devido às globalizações, ao andar da carruagem, ao progresso, ao tempo que passa.

Com o passar dos anos, vimos fechar muitos gráficas que faziam uma excelente pré-produção e depois fecharam também excelentes gráficas que faziam excelentes impressões, pois a produção em países asiáticos tornou-se muito atraente: mais barata, cada vez com maior qualidade, permitindo pop up’s, recortes e outras tecnologias do papel a preços estranhamente baixos.

A produção de um livro num país asiático pode ser muito mais rentável para uma editora (já pedimos preços e sabemos disso muito bem). Mas a rentabilidade a curto prazo não é tudo nesta vida, por isso continuamos a imprimir em Portugal.
Porque gostamos que continuem a existir boas gráficas em Portugal. Porque temos excelentes profissionais. Porque não gostamos que o transporte dos nossos livros liberte CO2 para atmosfera. Porque as impressões em países asiáticos não nos dão ainda as garantias de boas práticas ambientais e laborais que temos aqui na Europa. Por uma questão de proximidade.
Podermos meter-nos no carro e, em meia hora, estar a ver as folhas a sair da máquina de impressão é das coisas mais lindas que há. Uma emoção parecida com ir espreitar um recém-nascido à maternidade.

























(este está quase a chegar!)

quinta-feira, 1 de março de 2018

Vencedores do passatempo "O livro dos quintais"

A Isabel M. Martins e o Bernardo P. Carvalho já escolheram os três vencedores do passatempo “O livro dos quintais”. Não foi uma tarefa nada fácil!
Parabéns ao Pedro Simão, ao Yves P. e à Maria Caetana de Sá! São os grandes vencedores e vão levar para casa um livro assinado pelos dois autores.

Queremos ainda fazer uma menção especial às crianças do Jardim de Infância de S. Pedro do Corval. Enviaram-nos desenhos muito inspiradores e, por isso, decidimos oferecer-lhes um livro.

Obrigado a todos pela participação.


Desenhos vencedores:



Autoria: Pedro Simão (6 anos)
Ajuda nas letras: Susana Moura (41 anos)




Yves P.
3anos



Maria Caetana de Sá
6 anos


segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

NOVIDADE: "A Orquestra - Uma volta ao mundo à procura dos músicos"



O grande concerto está marcado para daqui a uma semana, mas os membros da orquestra desapareceram sem deixar rasto!
Felizmente, não é grave: ao que parece estão todos de férias e o maestro até tem recebido alguns postais simpáticos que lhe dão pistas sobre o paradeiro dos seus queridos músicos: os violinistas foram para Tóquio, a tocadora de harpa está no Porto, os trompetistas no Rio de Janeiro, os flautistas em Abidjan…
O maestro e o seu fiel assistente decidem então pôr-se a caminho, à procura dos músicos pelos quatro cantos do mundo.
Mas entre as ruas apinhadas e confusas, não é fácil dar de caras com os músicos em descanso.

Um livro de grande formato tipo “descobre onde está” , para aprender mais sobre as grandes cidades do mundo e os instrumentos musicais.

***

The Orchestra - Around the world looking for musicians

The great concert is scheduled for next week, but the members of the orchestra have disappeared without a trace.
Luckily, it’s not so serious: it looks like they’re all enjoying their holidays and the maestro has even been receiving some nice postcards, giving him hints of where his dearest musicians might be: the violinists went to Tokio, the harpist is in Porto, the trumpeters in Rio de Janeiro, the flutists in Abidjan…
The maestro and his loyal assistant have decided to set out on a journey looking for the musicians through the four corners of the world. 
However, in between the crowded and confusing streets, it’s not easy to stumble upon the resting musicians. 

A large format book made in the “Search and find” genre, to learn more about great cities of the world and musical instruments.