quinta-feira, 21 de abril de 2011

Em cadeia / adentrar na noite escura*


Mais ou menos há um ano (na Páscoa do ano passado) a Sal/Prateleira de Baixo tinha escrito sobre o Nella Notte Buia.
Passou um Verão, um Outono, um Inverno e estamos na Páscoa outra vez. Agora com um "Na Noite Escura", em português, trazido pela Bruaá.
Já tínhamos alguns livros do Bruno Munari em português (livros teóricos como o "Das Coisas Nascem Coisas") mas havia um vazio (que ocupava muito espaço) no que diz respeito aos seus livros para crianças/livros ilegíveis/pré-livros.

Irresistível o poema da Adília Lopes que a Bruaá publicou neste post:

Dia
sem poesia
não é dia
é noite escura

Mas a poesia
é noite escura

Adília Lopes


*o adentrar vem da sinopse da Cosac Naify.
A imagem é da Prateleira-de-Baixo.

1 comentário:

sal disse...

Madalena, o adentrar, descobri recentemente na minha prateleira de cima (ver FB), já aparece utilizado por Moisés (Ex 3,1-4)! Que grande verbo, de facto, tão maior que entrar. Viva o Brasil (e o alentejo) que guarda estas palavras tão melhor que nós.