quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

"A gente corremos pelas ruas da vila"

José Luís Peixoto ganhou hoje o Prémio Daniel Faria 2008, criado pela Câmara Municipal de Penafiel e pela Quasi Edições.
O conjunto dos poemas agora premiado será editado em Março pela Quasi, sob o nome "Gaveta de papéis".
Enquanto o livro chega e não chega...

"A gente corremos pelas ruas da vila"
(de JLP, publicado no livro "Cal", da Bertrand)

O céu das hortas é maior do que
o mundo:
a vila apresenta ruas calcetadas para
homens de sapato fininho, mulheres
sozinhas e cachopos: eh, cachopo
de má raça.

Vamos aos figos e passamos
a vida:
a vila, às vezes, é desenhada
por esta aragem que é o lápis
de um carpinteiro. Quem é que é
o teu pai? perguntam os velhos
sentados num banco do jardim.

A gente corremos pelas ruas da vila.

Eu já vi as laranjeiras e as janelas
abertas no verão. Pranta-te quedo,
dizem as velhas de olhos pretos.

Vamos fazer um mandado, vamos dizer
o tempo:
porque a gente corremos pelas ruas da vila
e sabemos quem é a Ti Rosa do Queimado
e ainda não temos a cegueira de ser grandes.

(É pena não termos o texto em audio, com um diseur daqueles fenomenais).

4 comentários:

Mónica (em Campanhã) disse...

fico uns dias sem cá vir e é de pasmar quando regresso: tanta ilustração e tanto texto bonito!

lucy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
instantanés disse...

Descobri o vosso blog ao passear pelo lindo blo da Yara Kono ... Ai que alegria ! Este poema é lindo ... Obrigada por estas descobertas que me ajudam a matar a saudade que tenho de Portugal ... Parabens e BRAVO, este blog é "mon bol d'air", Merci !

Planeta disse...

olá instantanés, ainda abem que gostou. seja bem-vinda!